Estadão
Estadão

Janot cita Gandhi em denúncia e afirma que 'tiranos sempre caem'

Referência ao líder pacifista indiano aparece logo no começo da denúncia contra o presidente da Câmara

Beatriz Bulla e Talita Fernandes, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2015 | 17h50

Brasília - O começo da denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), traz uma mensagem na epígrafe. Janot faz uma citação ao líder e pacifista indiano Mahatma Gandhi, de acordo com a qual "tiranos sempre caem".

"Quando eu me desespero, eu me lembro que, durante toda a história, os caminhos da verdade e do amor sempre ganharam. Têm existido tiranos e assassinos e, por um tempo, eles parecem invencíveis, mas no final sempre caem. Pense nisto: sempre", diz o trecho do texto de Gandhi reproduzido no início da peça enviada ao STF.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) protocolou nesta tarde no STF o oferecimento de denúncia contra Cunha. Ele alvo de investigação perante o Supremo Tribunal desde março, por suposta participação no esquema de corrupção na Petrobras. Cunha é investigado na Operação Lava Jato, acusado de prática de corrupção e lavagem de dinheiro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.