Janene lista Aldo, Dirceu e Delúbio como suas testemunhas

O deputado José Janene (PP-PR), processado no Conselho de Ética da Câmara por suspeita de envolvimento no mensalão, encaminhou sua defesa por escrito na última sexta-feira e listou, entre outros, o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PcdoB-SP), o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o deputado cassado José Dirceu (PT-SP) e o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, como testemunhas em seu favor.O caso de Janene é semelhante ao do presidente do PP, Pedro Corrêa (PE), que teve a cassação recomendada pelo relator Carlos Sampaio (PSDB-SP). O PP recebeu R$ 4,1 milhões do caixa 2 de Marcos Valério. Os dirigentes, no entanto, reconhecem apenas o recebimento de R$ 700 mil, usados para pagar o advogado Paulo Goyaz, responsável pela defesa do deputado cassado Ronivon Santiago (AC).Na defesa, Janene diz que a executiva nacional do PT "pretendia o apoio do PP nas eleições municipais", apesar dos conflitos entre os dois partidos no Acre. O deputado informa que "a representação nacional do Partido dos Trabalhadores se comprometeu a efetuar o pagamento dos honorários do advogado Paulo Goyaz".Janene, que foi líder da bancada do PP, está licenciado por causa de doença cardíaca e pede que o processo seja suspenso, sendo retomado somente depois que ele se recupere do tratamento a que se submete.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.