Janeiro é 'boa data' para definir candidato em SP, diz Alckmin

'Eu sou candidatíssimo a acordar cedo, suar a camisa, a trabalhar pra valer', disse o ex-governador paulista

Rejane Lima, da Agência Estado,

28 Outubro 2009 | 15h49

O Secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta quarta-feira, 28, que janeiro é uma "boa data" para que saia a definição de quem serão os candidatos tucanos. "Qualquer discussão sobre a questão estadual depende da questão nacional, é obvio. Eu sou candidatíssimo a acordar cedo, suar a camisa, a trabalhar pra valer", disse o ex-governador.

 

Questionado se haverá uma grande mudança no cenário eleitoral paulista com a provável candidatura de Ciro Gomes (PSB) sendo apoiada pelo PT ao Governo do Estado, Alckmin despistou, afirmando "não saber" e que "adversário não se escolhe, mas isso é tudo para 2010", negando ainda que Ciro seja um concorrente mais difícil que a ex-prefeita Marta Suplicy.

 

Em evento na prefeitura de Santos, na Baixada Santista, onde assinou o credenciamento provisório do Parque Tecnológico de Santos, o nono do Estado, Alckmin também comentou a discussão entre os ministros Carlos Minc, do Meio Ambiente, e Dilma Rousseff, da Casa Civil, sobre as taxas de crescimento médio para os próximos anos. "Nós queremos é que o Brasil cresça, que haja renda, trabalho. Estamos partindo de uma base muito baixa, então vai crescer, o que precisa é esse desenvolvimento ser sustentável", destacando que a economia brasileira tem três problemas: uma política fiscal frouxa, taxas elevadas de juros e um câmbio sobrevalorizado. Minc questionou os números apresentados por Dilma, que mostram um crescimento de 5% a 6% ao ano nos próximos anos, afirmando que a meta é "improbabilíssima". "Isso os ministros é que devem se explicar", disse Alckmin.

(Atualizada às 20h25)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.