SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Irmãos Weintraub e Salles trocam farpas com Janaina por candidaturas em 2022

Após deputada defender o próprio nome para o Senado, ex-ministro da Educação classificou postura como 'falsa e interesseira'

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2021 | 08h39

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) se envolveu em uma discussão com o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub após propor uma “frente bolsonarista” para as eleições de 2022. Respondendo a parlamentar via redes sociais nesta quarta-feira, 29, Weintraub classificou a sugestão como parte de uma “postura muito falsa e interesseira”.

A espécie de "aliança política" proposta por Janaina sugeria um palanque conjunto para eleger Tarcísio Freitas, atual ministro da Infraestrutura, como governador de São Paulo; a própria Janaina como senadora; Abraham como deputado federal e Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro, como deputado estadual. 

Segundo a deputada, ela teria fortalecido a ideia para o acordo após ler uma entrevista de Abraham na qual ele havia insinuado que seria seu adversário em 2022. “O que é isso, companheiro? Bora reunir todos na mesma sigla!”, escreveu.

Em resposta, Abraham afirmou: “Primeiro, não sou seu companheiro. Aliás, isso é termo da esquerda! Quando era de seu interesse, você descobriu meu telefone e me ligou (não fui eu que te procurei). Agora twitta sobre sua decisão, querendo se impor".

O ex-ministro possui um histórico de publicações agressivas em suas redes e já se envolveu em outros conflitos no passado. Quando estava à frente da Educação, chegou a ser alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) devido a um tweet supostamente racista sobre a China. O Twitter também foi palco de outras gafes e polêmicas de Abraham durante sua gestão como titular da Pasta. 

Arthur Weintraub também se manifestou. "Não pedi o teu conselho. Tente ser líder você dos estaduais, se conseguir se reeleger para estadual", escreveu.

Em outro tweet, Janaina incluiu o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles como uma aposta para deputado estadual. "Não é hora de cisão! Deixa para brigar depois!", disse a deputada. Salles, então, disse que será candidato a deputado federal, não estadual, e citou entrevista em que a parlamentar declarou voto em Sérgio Moro (Podemos): "Afinal, de quem é o seu voto no primeiro turno? Moro ou Bolsonaro?", provocou. Janaina não respondeu o ex-ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.