Jader vai arquivar processo contra Arruda e ACM

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), disse que vai mandar arquivar o processo em tramitação na Mesa da Casa, por quebra de decoro parlamentar, contra o ex-senador José Roberto Arruda (sem partido-DF) e o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), que deverá renunciar nesta tarde. "Seria uma mesquinharia despachar um processo, sabendo que o senador já havia anunciado que iria renunciar", afirmou Barbalho, referindo-se a ACM. "Não tenho interesse em agravar este episódio" .Em relação à recomposição da base de apoio do governo, ele disse: "A base deve estar afinada com o governo, no que diz respeito à sustentação política. O PMDB (partido de Jader) tem uma atitude de colaboração". Barbalho ressaltou, entretanto, que hoje, após deixar a presidência do PMDB, tem outras tarefas como presidente do Senado. "Não sou mais presidente do PMDB. Mas, se puder colaborar, colaborarei, sem me distanciar das atribuições de presidente do Senado", observou. Indagado se estava satisfeito com o desfecho do caso da violação do painel de votação, ele reagiu assim: "Sou uma figura sem ódio, e me dei por satisfeito quando a maioria do Senado me elegeu". Ele disse, também, que a saída de Antonio Carlos Magalhães do Senado não vai aumentar ou diminuir as dificuldades de presidir a Casa. "Não tive dificuldades de presidir o Senado", observou, em referência ao período em que teve de conviver com ACM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.