Jader reforça importância de reformas em discurso

O novo presidente do Senado, Jader Barbalho, defendeu, em seu pronunciamento, um entendimento entre os partidos para que a tramitação dos trabalhos ocorra de forma acelerada. "As divergências têm que ficar para trás hoje, não sou mais presidente de um partido político. Sou presidente da Casa", afirmou. Segundo ele, sua atuação na presidência do Senado "deve pairar acima de disputas partidárias". Para Barbalho, no momento em que o Brasil é apontado como grande repceptor de investimetnos, "é necessário que o Senado faça a sua parte " e garanta que os ganhos alcançados tenha a participação do povo. Reformas - O novo presidente do Senado considera imprescindível a discussão e votação das reformas tributária, política e do Judiciário. Em relação à reforma tributária, ele afirmou que "não há mais como adiá-la. A discussão sobre a mesma está exaurida. Os caminhos estão claros. Os estudos já esfetuados nas duas casas do Congresso, com a inestimável ajuda da sociedade, esgotaram a matéria, que está pronta para ser votada". Ele acrescentou: "É necessário a vontade política para que ela se torne realidade, libertando nossa produção das amarras que a impedem de crescer, permitindo que as empresas gerem empregos e riquezas que irão resgatar a imensa dívida social com o nosso povo".Política - A votação da reforma política, além da tributátria e do Judiciário, foi outro compromisso feito na tributa por Jader Barbalho. Ele disse que considera a reforma política com uma grande contribuição não só para a melhoria da imagem da "classe política" como também para as atividades que, na sua opinião, ganharão em eficiência e em legitimidade. "Há assuntos em que a sociedade exige transparência, como o financiamento das campanhas políticas, as coligações em eleições e a fidelidade partidária cujas definições irão aprimorar o processo democrático", afirmou. Segundo ele, o senador Sérgio Machado, líder do PSDB, já encaminhou relatório com "inestimável contribuição" à discussão da reforma política. Ele acrescentou que também participam das negociações o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) e o vice-presidente Marco Maciel, que vem conduzindo as conversas com todos os partidos, inclusive com a oposição.Judiciário - O novo presidente do Senado ressaltou ainda, em seu discurso, que a reforma do Judiciário é urgente para que se possa "usufruir de uma Justiça eficiente justa e rápida". "E aí é necessário reconhecer que a culpa do que ocorre não cabe aos juízes, mas sim às processualística que permite que os processos se perpetuem em suas mesas, com a inesgotável possibilidade de recursos, a maioria deles com o único fim proletétório", afirmou.MPs - O presidente eleito do Senado Jader Barbalho disse ainda em seu discurso que a votação do projeto que limita a edição de medidas provisórias, já analisado pelo Senado em " um brilhante trabalho", relatado com maestria pelo Senador José Fogaça, deve ser votado pela Câmara dos Deputados "com a brevidade requerida pela sociedade brasileira".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.