Jader quer investigação sobre painel do Senado

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), disse hoje, ao chegar ao Congresso, que vai insistir para que as investigações sobre o episódio de violação do painel eletrônico de votações sejam feitas cuidadosamente pelo Conselho de Ética para esclarecer a opinião pública. Segundo ele, há uma "acusação pesada de decoro parlamentar" e os senadores devem ser ouvidos pelo conselho. "Não desejo, como presidente do Senado, me antecipar. Não me sinto à vontade para fazer julgamentos. Por isso, prefiro não fazer juízos de valor", disse ele. Jader recebeu esta manhã o relatório da Comissão de Inquérito que investigou a violação do sistema eletrônico do Senado, no dia da votação do pedido de cassação do senador Luiz Estevão. Barbalho recebeu o relatório das mãos do primeiro-secretário, senador Carlos Wilson (PPS-PE).Segundo o presidente do Senado, quem vai estabelecer o roteiro dos trabalhos é o Conselho de Ética e a mesa do Senado deve encerrar hoje este episódio, assim que receber o relatório da comissão de inquérito e tomar suas providências. O envolvimento de funcionários do Senado na violação do painel será examinado por comissão disciplinar administrativa a ser constituída por servidores da Casa. No caso do envolvimento dos senadores, toda a discussão se dará no conselho de ética.Jader afirmou ainda que a possibilidade de instalação de uma CPI da Corrupção exclusiva do Senado dependerá dos líderes dos partidos. O requerimento original prevê a criação de uma CPI mista, o que inclui a participação tanto de senadores quanto de deputados. Ontem, foram completadas as 27 assinaturas necessárias para a instalação da CPI no Senado. Jader ressaltou também que não pretende retirar sua assinatura do requerimento. Ele informou ainda que deve, convocar provavelmente amanhã, a Executiva Nacional do PMDB para discutir a sua situação no partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.