Jáder: PMDB não fará pressão por mais espaço

A correlação de forças políticas do governo não deve ser alterada por conta das mudanças que o presidente Fernando Henrique Cardoso pretende fazer em sua equipe, a partir da próxima semana. A expectativa é do presidente do Senado, Jáder Barbalho (PMDB-PA), que não vê motivos que justifiquem o aumento ou a perda de poder de qualquer dos partidos da base de sustentação política do governo. Segundo Barbalho, que também preside o PMDB, seu partido não vai pressionar o presidente para obter mais espaço no governo, como também não quer ver reduzida sua participação no Executivo. Ou seja, a composição política deve ser mantida, preservando a correlação de forças formada pelo PMDB, PSDB, PFL e PPB. Apesar do rompimento do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) com o governo, Barbalho acha que o PFL deve continuar à frente dos ministérios de Minas e Energia e da Previdência, preservando sua fatia no Executivo. "Não desejamos tirar ninguém do Ministério e esperamos o mesmo tratamento dos outros partidos da base aliada", afirmou. "Não estamos discutindo espaço e não vejo motivo para que a composição seja alterada agora", completou, para contestar especulações segundo as quais o PMDB perderia a Secretaria do Desenvolvimento Urbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.