Jader, o novo problema para FHC

A cúpula do PMDB, reunida ontem em Brasília com Jader Barbalho, manifestou sua contrariedade com a entrevista de seu presidente nacional e presidente do Congresso ao jornal Valor Econômico, na qual o senador paraense ameaçou o Palácio do Planalto com a instalação de CPIs e a aprovação de leis contra o governo. E mais: deixou no ar a possibilidade de o PMDB lançar o governador mineiro Itamar Franco - um dos principais desafetos de Fernando Henrique - à sua sucessão em 2002.Represália- As ameaças seriam uma represália de Barbalho, segundo o qual o presidente estaria lavando as mãos em relação ao caso Banpará e às outras denúncias de corrupção de que vem sendo alvo. Na opinião de analistas, o senador peemedebista estaria vendo no comportamento de FHC uma tentativa de reaproximar-se do senador Antônio Carlos Magalhães - o mais áspero e contundente acusador do presidente do Congresso. Só que, ainda de acordo com analistas, nem o PMDB acredita nesta versão.No encontro, os dirigentes do PMDB deixaram claro a Barbalho que ele foi longe demais na entrevista, e que o partido não está disposto a abrir mais uma crise capaz de desestabilizar o governo. E disseram mais: caso o presidente do Congresso insistir neste caminho, ficará falando sozinho.Na análise feita por Franklin Martins no Jornal da Globo, da Rede Globo, "o negócio do PMDB, hoje, é ser mais, e não menos governo. E quanto às denúncias de ACM, cabe a Jader se defender e convencer a opinião pública de que ele está limpo nessa história toda, e que as acusações não passam de uma vingança política" (do senador pefelista).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.