Jader esvazia o PFL paraense

A um passo da renúncia para evitar a cassação de seu mandato, o senador Jader Barbalho (PMDB) começou a arregimentar políticos que lhes são fiéis no Pará, visando consolidar o lançamento de sua candidatura ao governo do Estado. O alvo preferencial de Jader é o PFL, partido que no Pará foi transformado em satélite do PMDB desde a última eleição majoritária. O apetite do senador para devorar de vez o PFL será testado amanhã, em Santarém, no oeste paraense, onde foi programada uma festa de adesões ao PMDB e da qual o convidado de honra será o próprio Jader. O senador desembarca às 10h no aeroporto da cidade e seguirá em carreata até a sede do partido, para abonar a ficha dos novos peemedebistas. O filiado mais festejado deverá ser o ex-governador do Estado e ex-prefeito de Belém, Hélio Gueiros, presidente estadual do PFL. Gueiros, na verdade, apenas retorna ao PMDB, que ajudou a fundar no Estado e do qual se afastou depois de desavenças políticas com Jader. Além de Gueiros, está definida a filiação do também pefelista Lira Maia, prefeito de Santarém, a segunda maior cidade do Estado. Maia, como anfitrião da festa, anuncia que levará consigo vereadores santarenos e de outros municípios daquela região. Foi com o apoio de Maia que Jader, na eleição de 1998 ao governo do Estado, impôs fragorosa derrota, em Santarém, ao governador Almir Gabriel, que acabou reeleito com diferença em todo o Estado superior a 10 mil votos. Segundo o deputado Antonio Rocha, líder peemedebista do oeste paraense na Assembléia Legislativa, vereadores e lideranças políticas de Itaituba, Óbidos, Terra Santa, Novo Progresso, Oriximiná, Faro, Juruti e de 14 municípios da Transamazônica e do Xingu irão transferir-se do PFL para o PMDB. "O PFL acabou no Pará", afirmou Rocha. Ele disse que, durante a permanência de Jader em Santarém, a população do oeste do Estado irá demonstrar sua "solidariedade às provações políticas" que o senador está enfrentando. "Se não querem ele em Brasília, o povo o quer governando o Pará pela terceira vez", disse. O deputado Bira Barbosa, líder do PMDB na Assembléia Legislativa, é quem está articulando o pacote de adesões ao partido em outras regiões do Estado. Ele evitou declinar nomes, porém estima que cerca de 28 prefeitos deverão assinar ficha do PMDB. O partido elegeu 37 prefeitos no ano passado, e outros 19 em coligação. Jader disse ao Estado, por telefone, estar "liderando com folga" todas as pesquisas de intenção de voto para 2002 no Pará. Ele não revela quais institutos teriam feito as pesquisas, mas garante que sua suposta supremacia seria a demonstração de que o povo paraense entende ter ele sido vítima de uma "sórdida vingança política" para forçá-lo a renunciar à presidência do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.