Jader deve ser alvo de mais um inquérito

O presidente licenciado do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), deverá ser alvo de mais um inquérito, depois que três testemunhas o apontaram como um dos envolvidos nas fraudes na extinta Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).O inquérito, que está aberto em Tocantins, será enviado para o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, já que Jader tem foro privilegiado.Além dele, foi apontado o nome do deputado federal José Priante (PMDB-PA), como um dos participantes das irregularidades.Os três depoimentos foram tomados durante os 20 dias em que o delegado federal Hélbio Dias Leite esteve em Altamira, no oeste do Pará, um dos principais redutos eleitorais de Jader.Duas das testemunhas são empresários beneficiados com recursos da Sudam, cujos projetos foram considerados irregulares.A outra testemunha, cujo nome a PF e o Ministério Público Federal mantêm em segredo, também seria empresário ou intermediário nas negociações das liberações dos financiamentos.Os dois empresários - Danny Gutzeit e Aloisio Pallmeier - negaram seus depoimentos depois que a informação sobre o teor foi vazada.Mesmo assim, o procurador da República em Tocantins, Mário Lúcio de Avelar, está decidindo enviar o inquérito para Brindeiro, que avaliará se a PF continuará atuando no caso, como vem fazendo desde abril deste ano, quando 22 pessoas foram presas em diversas partes do País, acusadas de envolvimento das fraudes.Nesta quarta-feira, o Tribunal Regional Federal (TRF) decidiu liberar o empresário José Soares Sobrinho, preso na semana passada, acusado de coagir testemunhas do caso. Sobrinho é aliado político de Jader em Altamira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.