Jader contesta depoimento de Picanço

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA) divulgou nota à imprensa contestando o depoimento do engenheiro agrônomo Raimundo Picanço ao delegado da Polícia Federal Luiz Fernando Ayres, que investiga a venda de Títulos da Dívida Agrária (TDAs) emitidos de forma irregular. Picanço, que foi responsável técnico pela desapropriação fraudulenta da Fazenda Paraíso, disse à Polícia Federal que o senador participou diretamente do processo. Jader negou tal informação, alegando que sua única participação no episódio "foi encaminhar a declaração de utilidade pública por interesse social, com a recomendação de que a desapropriação fosse judicial e de que o pagamento determinado por lei só pudesse ser levantado por quem provasse nos autos a titularidade do imóvel, atendendo às recomendações das áreas administrativa e jurídica do Ministério". Lembrou também que Picanço, em depoimento à Justiça em 1999, não fez qualquer referência à participação de Jader. "Fica claro que continuo a ser vítima da mentira e da leviandade", concluiu. É a seguinte a íntegra da nota: A imprensa publica hoje que o senhor Raimundo Hugo de Oliveira Picanço desmentiu-me em seu depoimento prestado à autoridade policial. Não é verdade o anunciado desmentido. Minha única participação na desapropriação da Fazenda Paraíso foi encaminhar a declaração de ´utilidade pública por interesse social´, com a recomendação de que a desapropriação fosse judicial e que o pagamento determinado por lei só pudesse ser levantado por quem provasse nos autos a titularidade do imóvel, atendendo as recomendações das áreas administrativa e jurídica do Ministério da Reforma e do Desenvolvimento Agrária (Mirad). Minha recomendação, no entanto, não foi seguida por meus sucessores no Ministério, pois o procedimento desapropriatório foi, posteriormente, amigável. Com relação ao sr. Hugo Picanço, quero esclarecer ter sido o mesmo condenado à pena de cinco anos de reclusão pelo Mm. Juiz da 12ª Vara Criminal Federal de Brasília, em processo que versou exatamente sobre ´ilícitos´ praticados na desapropriação da Fazenda Paraíso, valendo ressaltar que, em seu depoimento em 26 de agosto de 1999, perante o juiz federal Evaldo de Oliveira Fernandes, em momento algum registrou meu nome como envolvido em tal episódio. Fica claro que continuo a ser vítima da mentira e da leviandade. Jader Barbalho, presidente do Senado Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.