Jader avisa que terça-feira se despede da presidência do Senado

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), afirmou hoje, ao chegar ao Congresso, que seu discurso de despedida do cargo será feito na terça-feira, da tribuna do Senado. Ela acha que, quarta-feira, já deverá ser convocada a eleição para escolha de seu sucessor, que será um senador do PMDB, conforme acordo firmado ontem pelos presidentes dos partidos da base aliada do governo, com aval do presidente Fernando Henrique Cardoso. Barbalho não quis adiantar o tom de seu discurso, afirmando que vai dedicar-se ao texto neste fim de semana. Ele reafirmou que está sendo vítima de uma vingança de natureza política, pois, na sua opinião, não estaria passando por esta situação se não tivesse enfrentado o ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). "Se eu não tivesse sido eleito para a presidência do Senado, não estaria passando por isso", afirmou. Ele ressaltou que sua decisão de renunciar ao cargo foi um gesto de compreensão política do momento. "Eu apenas compreendi o momento político e o impasse", observou. Barbalho não quis manifestar opinião sobre o nome de seu sucessor, afirmando que será uma decisão do PMDB, seu partido. Mas tentou desvincular o nome do senador José Sarney ao ex-senador Antonio Carlos Magalhães. "ACM nem mais integra o Senado. Não vamos estabelecer vínculo", afirmou. "Sarney tem todos os méritos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.