Jader avisa a FHC que não ficará na defensiva

Em sua primeira visita oficial ao presidente Fernando Henrique Cardoso no Palácio da Alvorada, o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), comunicou nesta terça-feira ao chefe do Executivo que o PMDB não ficará na defensiva diante dos ataques e denúncias de corrupção feitas pelo senador Antonio Carlos Magalhães. "O presidente foi avisado de que cada criação do ACM será respondida com ataques de maior intensidade", relatou um dirigente nacional do PMDB. "E nosso arquivo de denúncias é ilimitado". Mas a ofensiva do partido não vai criar novas dificuldades ao presidente para administrar a base aliada, especialmente o PFL em crise por conta da derrota na sucessão do Congresso. Em seus últimos dias na presidência do PMDB, que prometeu desocupar logo que assumisse o comando do Senado, Jader explicou a Fernando Henrique que seu partido interpreta os ataques como "coisa do ACM" e não do PFL. Por isso mesmo, a munição desta guerra, como os requerimentos de informação do PMDB que levantam suspeitas sobre a aplicação de recursos públicos, ficou centrada na figura de ACM e na área de atuação do senador baiano. Uma boa notícia para um presidente que revelou-se preocupado e decidido a fazer todo o esforço para que sua base de sustentação política seja mantida. "O presidente quer o PFL na base do governo e eu falei de todo o meu empenho pessoal para superar o momento eleitoral", contou o presidente do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.