Jader abre inquérito sobre painel do Senado

O presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), disse há pouco que determinou a instauração de inquérito para apurar a vulnerabilidade ou não do painel eletrônico usado para votações secretas no plenário do Senado. Segundo Jader, se for procedente a suposta revelação feita pelo senador ACM aos procuradores da República no Distrito Federal, na última segunda-feira, denunciada pela revista IstoÉ, a Constituição, que garante as votações secretas pode ter sido reiteradamente violada, o que é um episódio muito grave. "Todos estão indignados com essas revelações, não só aqueles que trabalham no Senado. Mas, eu, particularmente, estou estarrecido." Jader confirmou que os líderes do PT comunicaram a ele que estão ingressando com representação contra o senador ACM, pelo fato de ele ter revelado decisão secreta do Senado e envolvido "levianamente" o nome da senadora Heloísa Helena e também pela possível retenção de documentos em poder da presidência do Senado. A retenção de documentos, segundo Barbalho, se for provada, seria uma atitude que teria dificultado a apuração das denúncias de tráfico de influência por parte do ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República Eduardo Jorge Caldas Pereira. Jader Barbalho não quis responder se esses fatos poderão levar a uma eventual cassação do senador ACM. "Tudo vai depender dos desdobramentos das apurações", afirmou, comunicando que irá acionar ainda nesta quinta-feira a assessoria jurídica do Senado para examinar as providências necessárias para a apuração dos fatos. Estevão Segundo ele, o pedido de anulação da cassação feito pelo ex-senador Luiz Estevão não tem fundamento jurídico e, caso seja feito, será examinado pelo Poder Judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.