Já são 28 casos de contaminação em prótese de silicone

O número de casos notificados de contaminação em cirurgias de prótese de silicone na região de Campinas aumentou para 28, divulgaram hoje as Secretarias Estadual e Municipal de Saúde. Segundo a diretora da divisão de Infecção Hospitalar do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual, Maria Clara Padoveze, as próteses de silicone continuam suspeitas de ter causado o surto infeccioso, assim como os medidores.A diretora acrescentou que as investigações podem não chegar a lugar nenhum. "Os fatos apontam para um surto de fonteúnica. Estamos investigando outros produtos que possam ter uso comum nesse tipo de procedimento. O medidor é apenas umdesses produtos. A prótese também", afirmou. Ela não citou que outros materiais estão sendo investigados. Dos 28 casos notificados, 10 estão confirmados como tendo sido provocados por mycobacterium não tuberculosis, sendo 9 por mycobacterium fortuitum e 1 por mycobacterium porcinum. As cirurgias foram feitas por nove médicos em quatro clínicas particulares de Campinas. Os pacientes adquiriram as próteses em duas distribuidoras, Ortonal, de Campinas, e Expertise, de Americana, ambas interditadas pela Vigilância por falta de documentação. As próteses dos casos confirmados eram das marcas Silimed (sete) Eurosilicone (duas) e Perthese (uma). A SecretariaEstadual comunicou que entre os outros 18 casos, sete são considerados suspeitos de infecção por mycobacterium nãoTuberculosis, dois são casos de infecções por outras bactérias, dois de complicações cirúrgicas e sete inconclusivos. Há registros em Jundiaí e Morungaba, inconclusivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.