Já são 14 os bebês mortos por causa de soro, no Rio

O delegado José Luiz Dutra, que investiga a morte de 14 bebês recém-nascidos em cinco hospitais municipais e dois particulares no Rio, disse que o responsável técnico pelaprodução da Nutrição Parenteral Total (NPT) da empresa Ganutre poderá ser indiciado por homicídio culposo, que tem pena de um a três anos de prisão: ?O laudo preliminar da Vigilância Sanitária estadual aponta um problema no filtro da empresa; se esse resultado for confirmado, o responsável pelo produto pode ser responsabilizado criminalmente?, disse ele.Três casos foram confirmados apenas hoje - elevando de 11 para 14 o número de recém-nascidos mortos. Mais dois bebêsmorreram no Instituto da Mulher Fernando Magalhães, em São Cristóvão, zona norte. As outras aconteceram em hospitaisparticulares do grande Rio: uma no Hospital Daniel Lipp, em Duque de Caxias, e outra no Hospital Santa Cruz, em Niterói. Todos os bebês morreram de infecção generalizada depois de receberem a Nutrição Parenteral Total (NPT), da empresaGanutre. Cada bolsa de NPT - solução intravenosa indicada para pacientes impedidos de comer normalmente - é manipulada para um indivíduo, segundo prescrição médica.Dutra começa amanhã a ouvir o depoimento dos envolvidos. os primeiros intimados são os médicos e a diretora do FernandoMagalhães, Carmen Athaíde dos Santos, onde aconteceram o maior número de mortes (seis).A promotora da 2ª Promotoria da Infância e Juventude, Maria Amélia Barreto Peixoto, que acompanha a investigação noFernando Magalhães, disse acreditar que o problema aconteceu na fábrica. Ontem, ela ouviu o depoimento de Santos, eafirmou que não há indícios de que o instituto tenha cometido falha ou omissão.?Não fomos notificados oficialmente sobre uma possível falha do sistema de filtração da água?, disse o gerente-geral da Ganutre, Reginaldo Lopes, acrescentando que ?foi a empresa quem avisou a Vigilância Sanitária das mortes e suspendeu automaticamente a produção?. A Secretaria Municipal de Saúde afirma que foi a responsável pela notificação da VigilânciaSanitária Estadual e de todos os hospitais da rede. Hoje, foi descartada a possibilidade de que o único adulto que estaria entre as vítimas do NTP tenha morrido por causa da solução. Segundo a secretaria, a morte de uma senhora de 82 anos no hospital Lourenço Jorge, Barra da Tijuca, zona oeste, foi causada por diverticulite (inflamação no intestino) em estado avançado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.