Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Já são 14 os bebês mortos por causa de soro, no Rio

O delegado José Luiz Dutra, que investiga a morte de 14 bebês recém-nascidos em cinco hospitais municipais e dois particulares no Rio, disse que o responsável técnico pelaprodução da Nutrição Parenteral Total (NPT) da empresa Ganutre poderá ser indiciado por homicídio culposo, que tem pena de um a três anos de prisão: ?O laudo preliminar da Vigilância Sanitária estadual aponta um problema no filtro da empresa; se esse resultado for confirmado, o responsável pelo produto pode ser responsabilizado criminalmente?, disse ele.Três casos foram confirmados apenas hoje - elevando de 11 para 14 o número de recém-nascidos mortos. Mais dois bebêsmorreram no Instituto da Mulher Fernando Magalhães, em São Cristóvão, zona norte. As outras aconteceram em hospitaisparticulares do grande Rio: uma no Hospital Daniel Lipp, em Duque de Caxias, e outra no Hospital Santa Cruz, em Niterói. Todos os bebês morreram de infecção generalizada depois de receberem a Nutrição Parenteral Total (NPT), da empresaGanutre. Cada bolsa de NPT - solução intravenosa indicada para pacientes impedidos de comer normalmente - é manipulada para um indivíduo, segundo prescrição médica.Dutra começa amanhã a ouvir o depoimento dos envolvidos. os primeiros intimados são os médicos e a diretora do FernandoMagalhães, Carmen Athaíde dos Santos, onde aconteceram o maior número de mortes (seis).A promotora da 2ª Promotoria da Infância e Juventude, Maria Amélia Barreto Peixoto, que acompanha a investigação noFernando Magalhães, disse acreditar que o problema aconteceu na fábrica. Ontem, ela ouviu o depoimento de Santos, eafirmou que não há indícios de que o instituto tenha cometido falha ou omissão.?Não fomos notificados oficialmente sobre uma possível falha do sistema de filtração da água?, disse o gerente-geral da Ganutre, Reginaldo Lopes, acrescentando que ?foi a empresa quem avisou a Vigilância Sanitária das mortes e suspendeu automaticamente a produção?. A Secretaria Municipal de Saúde afirma que foi a responsável pela notificação da VigilânciaSanitária Estadual e de todos os hospitais da rede. Hoje, foi descartada a possibilidade de que o único adulto que estaria entre as vítimas do NTP tenha morrido por causa da solução. Segundo a secretaria, a morte de uma senhora de 82 anos no hospital Lourenço Jorge, Barra da Tijuca, zona oeste, foi causada por diverticulite (inflamação no intestino) em estado avançado.

Agencia Estado,

12 de maio de 2004 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.