Izar estima que até seis deputados devem renunciar

O presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), estima que cinco ou seis deputados devem renunciar ao mandato até a meia noite de hoje, quando termina o prazo para que os acusados de envolvimento com a máfia das ambulâncias deixem o cargo. Até agora, apenas Coriolano Sales (PFL-BA) renunciou ao mandato e, portanto, seu processo será arquivado. Izar reafirmou que, mesmo com a renúncia, os parlamentares acusados poderão ser processados em caso de reeleição. "O processo pode ser reaberto se alguém o provocar - algum partido político, a própria Mesa ou uma CPI", disse.Segundo Izar, serão necessários pelo menos dez dias para notificar todos os deputados citados no relatório da CPMI. A partir da notificação, os deputados terão um prazo de cinco sessões ordinárias do plenário para apresentar a defesa prévia por escrito.O conselho se reúne nesta Terça-feira, 22, para instaurar processos disciplinares contra os deputados citados no relatório parcial da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.