Ivan Valente, do PSOL, fala em ''horizonte socialista''

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) não pretende fazer concessões na campanha: todas as propostas de seu pré-programa de governo apontam para um "horizonte socialista".O que isso significa na prática? Pegue-se o exemplo do caos do trânsito: enquanto os concorrentes preparam propostas para acomodar melhor os automóveis nas ruas, o candidato do PSOL, deputado federal Ivan Valente, vai dizer que o mal é o automóvel. Quer substituir o conceito de transporte individual pelo conceito coletivo.O socialismo também implica numa presença mais forte do Estado nos serviços públicos - e o conseqüente corte das verbas para serviços terceirizados. Em relação aos outros candidatos, Valente vai bater forte em Marta Suplicy (PT), considerada uma renegada. "Marta mudou de lado", diz o deputado.Isso não significa que os candidatos do DEM e PSDB serão poupados. "Essa dupla parou São Paulo", acusa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.