Itamaraty:suspensão de pedido da Embraer não ajuda laços com EUA

A suspensão pela Força Aérea dos Estados Unidos de uma licitação vencida pela Embraer para compra de aeronaves militares não ajuda as relações entre Brasil e EUA na área de defesa, disse o Ministério de Relações Exteriores em nota nesta quinta-feira.

REUTERS

01 de março de 2012 | 20h24

Na terça-feira, a Força Aérea norte-americana cancelou o contrato conquistado pela Embraer em parceria com a norte-americana Sierra Nevada para a venda de 20 Super Tucanos no valor de 355 milhões de dólares.

Nesta quinta, o Itamaraty disse em nota que o governo brasileiro recebeu a notícia com "surpresa".

"Em especial pela forma e pelo momento em que se deu. (O governo brasileiro) considera que esse desdobramento não contribui para o aprofundamento das relações entre os dois países em matéria de defesa", diz a nota.

"O governo brasileiro continuará a manter diálogo com as autoridades norte-americanas sobre o assunto."

Também nesta quinta, durante evento no Rio de Janeiro, o vice-secretário de Estado dos Estados Unidos, William J. Burns, disse que os EUA seguem interessados em adquirir o Super Tucano.

Autoridades dos Estados Unidos estão no Brasil para promover o caça F-18 Super Hornet, da Boeing, que disputa com o Rafale, da francesa Dassault, e com o Gripen, da sueca Saab, um contrato para o fornecimento de 36 aeronaves para a Força Aérea Brasileira (FAB).

(Reportagem de Eduardo Simões)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAITAMARATYSUPERTUCANO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.