Itamaraty pedirá para Taiwan devolver garoto brasileiro

O Itamaraty vai pedir a volta do garoto brasileiro Iruan Ergui Wu, que está em Taiwan há 45 dias com os avós paternos. Isso pode ser feito, porque, na segunda-feira, a Justiça do Rio Grande do Sul entregou ao Ministério da Justiça carta rogatória para a repatriação do menino de 5 anos. De acordo com Itamaraty, o processo é lento. Como o Brasil não tem relações diplomáticas com Taiwan, a situação fica mais difícil. O Itamaraty fará o pedido via Paraguai, o sócio do Mercosul que tem embaixada em Taiwan. De acordo com a tia de Iruan, Patrícia Ergui Tavares, a família deixou de fazer contato com Iruan há mais de uma semana. "Antes falávamos com ele por telefone com a ajuda de um tradutor que contratamos, mas agora a família taiwanesa não está mais deixando ele falar ao telefone", contou. A família brasileira de Iruan está preocupada com a saúde do garoto. Segundo Patrícia, o menino estaria comendo camarões em Taiwan, apesar de ser alérgico.Desde março, Iruan está sendo retido em Taiwan pelos familiares do pai, o chinês Teng-Shu, que morreu depois de levar a criança de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, para conhecer os avós, em Taiwan.O menino era criado pela avó materna em Canoas, desde a morte da mãe brasileira, em 1998. O escritório de representação de Taiwan em Brasília infomou que o Ministério das Relações Exteriores de Taiwan está empenhado em resolver o caso e convencer a família a devolver o menino, mas a decisão será da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.