Itamaraty orienta embaixadas a rebater declarações contra o governo

Correspondência foi enviada a todos diplomatas brasileiros na terça, pedindo combate com "rigor e proficiência"

ADRIANO CEOLIN e LU AIKO OTTA, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2016 | 07h46

BRASÍLIA - Depois das críticas de países vizinhos ao afastamento da presidente Dilma Rousseff e da divulgação de notas do governo brasileiro rebatendo-as em tom duro, o Itamaraty enviou na terça-feira, 24, correspondência a todas as embaixadas para orientar os diplomatas rebaterem “equívocos” sobre o processo de impeachment.

Em documento dividido em 17 itens em que são citados trechos de documentos e declarações de autoridades estrangeiras, o Ministério das Relações Exteriores diz que os equívocos “devem ser ativamente combatidos”. “O devido processo legal está sendo observado com todo o rigor, como deve ser, sob a supervisão atenta do Supremo Tribunal Federal”, afirma o documento. Segundo o texto, declarações vagas “devem ser combatidas com rigor e proficiência, a fim de evitar que continuem a fomentar duvida infundadas sobre a lisura do processo político no Brasil.”

A orientação é que os diplomatas expliquem que o processo em curso tem natureza “eminentemente política e não se confunde com um julgamento penal”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.