Itamaraty não sabia sobre cubanos, diz ministro interino

Samuel Guimarães disse que governo não foi informado sobre atletas que desertaram da delegação do seu país

09 de agosto de 2007 | 14h42

O ministro interino das Relações Exteriores, embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, disse nesta quinta-feira, 9, que o Itamaraty não foi informado sobre a situação dos atletas cubanos que desertaram da delegação do seu país, durante os jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro. Guimarães esteve  com o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, que encaminhou requerimento à Comissão de Relações Exteriores do Senado para esclarecer as condições em que os cubanos deixaram o Brasil.  Questionado sobre a avaliação que fazia da disposição do governo brasileiro de ajudar Cuba a repatriar os dois boxeadores, Guimarães disse que só falava a respeito das atividades do Itamaraty."Primeiro, o Itamaraty não tem competência nesse tipo de situação; e segundo, não tivemos conhecimento do que estava ocorrendo. Não fomos consultados".  Arthur Virgílio disse estranhar essa reação do Ministério das Relações Exteriores, por se tratar de um órgão responsável pelo bom relacionamento entre Cuba e Brasil . "É esquisito não ter sabido antes, já que se tratava de um assunto que poderia causar dificuldades na relação entre os dois países", disse o senador. Convite a Tarso A Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou nesta quinta-feira convite ao ministro da Justiça, Tarso Genro, para explicar os motivos da "localização, captura e rápida deportação" dos dois atletas cubanos que desertaram.Autor do requerimento de convocação, Virgílio pede a convocação, além de Tarso, do ministro das Relações Exteriores Celso Amorim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.