Itamaraty ?lamenta? declarações de relator da ONU

Em nota divulgada nesta segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores "lamenta o tom pouco construtivo e a tônica desequilibrada das declarações do professor Jean Ziegler", relator especial da Organização das Nações Unidas sobre o Direito à Alimentação, feitas ao término de uma visita de inspeção de 18 dias ao Brasil.Ziegler anunciou que, em seu relatório à assembléia da ONU, em setembro, afirmará que o Brasil desrespeita o direito à alimentação e previu que o País poderá sofrer sanções por isso. Sobre os dados que levantou no Brasil, Ziegler disse que eles indicam que um terço da população brasileira é afetada pela subalimentação e qualificou esse fato de "totalmente intolerável".?Fome, no Brasil, é genocídio?Observou ainda que, "no Brasil, onde há terra fértil, riqueza e um clima tropical, a fome é um genocídio, não uma fatalidade. A responsabilidade é a ordem social, não a natureza. É um produto de uma ordem totalmente injusta."Segundo a nota do Itamaraty, as declarações de Ziegler à imprensa, ao final de sua visita, "colocam em risco a objetividade de sua missão". A nota afirma que "o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso tem um firme compromisso ético com a superação do déficit social brasileiro. Este compromisso se manifesta claramente na criação e aprimoramento de ampla rede de proteção social que assegure a cada brasileiro melhor qualidade de vida e que permita a construção de uma sociedade mais justa. De forma concreta, esse compromisso está expresso no fato de o Brasil ser um dos países que mais investem na área social".Segundo a nota, todos os indicadores sociais melhoraram no País, nos últimos sete anos. "Já temos mais de 97% das crianças brasileiras na escola; a mortalidade infantil se reduziu de forma significativa; o sistema de saúde tem cobertura universal", afirma.Marta quer interpelar IPEAA prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), pedirá à bancada petista no Congresso Nacional que chame o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), instituição do Ministério do Planejamento, a prestar esclarecimentos.Roberto Martins desqualificou Ziegler e considerou o enviado da ONU incapacitado para representar as Nações Unidas. ?Gostaria que o meu partido chamasse esse senhor para prestar contas da declaração desrespeitosa, absurda e não qualificada que faz de uma das pessoas que mais entendem da fome no mundo?, disse a prefeita.?O Brasil tem que parar de tapar o sol com a peneira. O Roberto Martins deveria ter vergonha de tratar Ziegler dessa forma. Ziegler é um deputado dos mais conceituados da Europa e está falando o que várias ONGs e a própria Igreja Católica denunciam há muito tempo: que os índices do Ipea que relatam a pobreza brasileira não são confiáveis.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.