Itamaraty estranha declarações de autoridade paraguaia

O ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, estranhou as declarações do secretário-geral da Presidência do Paraguai, Jesús Argaña, segundo as quais os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) teriam recebido dinheiro para votar na última segunda-feira contra a extradição do general paraguaio Lino Oviedo.O militar é acusado naquele país de envolvimento no assassinato do pai de Jesús, o ex-vice-presidente Luís Argaña. Mas, com a decisão, poderá viver livremente no Brasil.Nesta quinta-feira, o Itamaraty informou que até o início da noite o governo do Paraguai não havia se retratado oficialmente das declarações de Jesús.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.