Charles Sholl/Futura Press
Charles Sholl/Futura Press

Itamaraty demite diplomata acusado de agredir mulheres

Renato de Ávila é alvo de pelo menos dois processos na Justiça do Distrito Federal; ele foi preso na quarta, após vizinhos ouvirem gritos de socorro de uma mulher vindo do apartamento onde estava

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2018 | 16h32

BRASÍLIA - Alvo de pelo menos dois processos na Justiça do Distrito Federal e processos internos no Itamaraty por agressão a mulheres, o diplomata Renato de Ávila Viana foi demitido nesta quinta-feira, 20. A decisão foi publicada Diário Oficial da União. O Itamaraty informou que não vai comentar o caso.

Em um episódio não relacionado com a demissão, Viana foi detido nesSa quarta-feira, 19, após a polícia ser acionada por vizinhos que ouviram gritos de socorro de uma mulher vindos do apartamento onde se encontrava. Ele foi liberado após pagamento de fiança.

Em reação à prisão, a Associação dos Diplomatas do Brasil emitiu uma nota na qual repudia atos de violência e discriminação contra mulheres e pede celeridade na apuração dos novos fatos. Ela afirma que o diplomata já responde por atos semelhantes anteriores.

"Em diversas oportunidades, a ADB Sindical manifestou preocupação junto à alta esfera do Ministério das Relações Exteriores (MRE) diante dos atos de agressão repetidamente praticados pelo diplomata Renato de Ávila Viana", diz. "A valorização e o respeito às mulheres são premissas fundamentais desta entidade." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.