Itamaraty critica Justiça dinamarquesa

O governo brasileiro condenou duramente a Justiça da Dinamarca, por negar a extradição do brasileiro Marcelo Bauer, acusado de matar a brasileira Thaís Muniz Mendonça, em julho 1987. Essa decisão foi tomada na última quarta-feira pela Alta Corte de Viborg. Em nota à imprensa, o Ministério das Relações Exteriores comentou que o governo não pode deixar de observar que "os fundamentos da citada decisão mostram desconsideração em relação a país amigo."Na nota, o Ministério das Relações Exteriores afirma que há uma compreensão do governo brasileiro de que a decisão foi do Poder Judiciário da Dinamarca, mas que apesar disso não poderia deixar de fazer essa observação. Assessores do Ministério reconhecem que a nota é uma das manifestações mais fortes já registradas contra a Dinamarca.A nota foi redigida após audiência que o secretário-geral interino, embaixador Gilberto Velloso, teve com a embaixadora da Dinamarca no Brasil, Anita Hugau. Na reunião, o embaixador falou sobre a "perplexidade" do governo, da Justiça e da opinião pública no Brasil com a decisão da Alta Corte de Viborg. Bauer estava preso na Dinamarca desde setembro do ano passado.Velloso solicitou à embaixadora que transmitisse ao governo e à Justiça dinamarqueses a "expectativa brasileira" de que a Procuradoria-Geral da Dinamarca apresente recurso junto à Suprema Corte do país, que é a última instância, contra a decisão da Alta Corte de Viborg. O governo brasileiro insiste na extradição de Bauer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.