Itamaraty avalia suspensão de bloqueio de contas brasileiras na Itália

Ministério das Relações Exteriores e a Advocacia Geral da União analisam medidas judiciais para recorrer à decisão italiana; motivo seria suposto calote

Agência Brasil

09 de março de 2012 | 14h01

BRASÍLIA – O Ministério das Relações Exteriores e a Advocacia Geral da União (AGU) analisam medida judicial contra o bloqueio das contas bancárias usadas pela Embaixada do Brasil e consulados na Itália.

 

O bloqueio foi pedido por uma firma italiana que elaborou projetos para o trem-bala Rio-São Paulo, mas não recebeu o pagamento devido pela estatal Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, ligada ao Ministério dos Transportes. A estatal não comentou o caso.

 

Segundo o Itamaraty, o caso é apenas “uma questão jurídica que não afeta a relação Brasil-Itália”. Conforme a decisão de recurso, o governo brasileiro poderá ter que contratar escritório de advocacia italiano para a ação judicial.

 

Conforme notícia publicada nesta sexta-feira, 9, pelo Estado, em setembro do ano passado o Tribunal de Arezzo, na Toscana, condenou o Brasil a pagar R$ 36,4 milhões. O país não apresentou recurso à época.

Tudo o que sabemos sobre:
itamaratyitáliatrem-bala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.