Itamar vai ser mesmo duas vezes candidato

O presidente do PMDB, senador Maguito Vilela, anunciou hoje que o governador de Minas Gerais, Itamar Franco, será candidato à presidência do partido, em convenção nacional marcada para 9 de setembro. No mesmo dia, o PMDB vai anunciar o desligamento imediato do governo, com a entrega de todos os cargos, e vai escolher também o seu candidato à presidência da República para 2002. Os nomes apresentados por enquanto, para disputar a sucessão presidencial pelo partido, são os do governador Itamar Franco e do senador Pedro Simon. Não está descartada, no entanto, a possibilidade de aparecimento de outro nome para disputar a candidatura. Apesar dos apelos do senador para que Itamar Franco decidisse ou pela presidência do partido ou pela presidência da República, o governador mineiro decidiu ficar com as duas candidaturas. O acordo firmado na reunião que terminou por volta das 13h15 é que o candidato vencedor para a disputa da presidência da República terá o apoio do derrotado. "Eu não queria a presidência do partido, porque eu acho que vai dar muita dor de cabeça. Eu vou ficar apenas assistindo o Itamar comandar o PMDB", declarou Simon. O senador não descartou a possibilidade de a ala governista do PMDB apoiá-lo na convenção do dia 9. "Eu não vou excluir o voto de ninguém", disse. O senador garantiu também que os cargos dos filiados do partido serão entregues imediatamente ao governo federal após a convenção, incluindo os dos ministros dos Transportes, Eliseu Padilha, e da Integração Nacional, Ramez Tebet. A situação do assessor especial da presidência, Moreira Franco, é curiosa, na visão do Pedro Simon. "Ele dá uma entrevista esculhambando o partido e no dia seguinte anunciam que ele vai para a vaga do ministro Ovídio de Angelis (Secretaria do Desenvolvimento Urbano). Acho que é uma injustiça", afirmou Simon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.