Itamar sugere ida de "éticos" do PMDB para o PSDB

O governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), reagiu com ironia, nesta terça-feira, à notíciapublicada no Estado, segundo a qual a cúpula peemedebista estaria montando uma articulação para dar nova cara ao partido,com a ajuda do Palácio do Planalto e apoio dos principais líderes do PSDB.Itamar, que retornou ao PMDB há cerca de doismeses disposto a pregar a ida da legenda para a oposição ao governo federal e a ser candidato à Presidência da República,insinuou que boa parte da cúpula do partido é formada por pessoas desonestas, que deveriam mesmo se juntar aos tucanos."Há poucos dias, assisti ao presidente da República interferir no Congresso Nacional para não criar uma ComissãoParlamentar de Inquérito", disse o governador, referindo-se à estratégia do governo para impedir a CPI da Corrupção."Agora ele volta a interferir no PMDB, dizendo que vai indicar as lideranças dopartido", prosseguiu Itamar, segundo nota divulgada por sua assessoria."Seria melhor ele pegar toda essa gente ética (entreaspas) do partido e levá-la para o PSDB e deixá-la bem pertinho dele", finalizou.As rusgas de Itamar com a chamada cúpula do PMDB vêm aumentando a cada dia, o que reforça especulações sobre umapossível nova saída do governador da legenda.No início da semana, ele deu um ultimato ao partido para tirar, em 15 dias, opresidente do senado, Jader Barbalho, do comando nacional do PMDB, sob a ameaça de recorrer à Justiça.A alegação deItamar é que Jáder deveria ter deixado a presidência da legenda assim que foi eleito para o cargo maior do Congresso, já que oestatuto peemedebista impede que o dirigente nacional ocupe postos na administração pública.Jader, segundo o governador, éo primeiro na linha de sucessão de Fernando Henrique Cardoso, em caso de ausência do presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.