Itamar responsabilizará FHC em caso de novo confronto

O governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), avisou hoje o governo federal que "não hesitará em responsabilizar" o presidente Fernando Henrique Cardoso, caso haja novo confronto entre trabalhadores rurais e a Polícia Militar em Uruana, a 650 quilômetros de Belo Horizonte. O fax foi enviado pelo gabinete militar do governo mineiro ao ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann.No domingo à noite integrantes do MST tentaram invadir a fazenda Renascença, do embaixador Paulo de Tarso Flecha de Lima, que tem 9 mil hectares e é considerada produtiva. Os trabalhadores entraram em choque com policiais militares que protegiam a propriedade por determinação do governador em uma ponte sobre o rio São Miguel, a 15 quilômetros da fazenda.A PM fez disparos com balas de borracha e utilizou bombas de efeito moral, segundo o comando da corporação, porque os sem-terra teriam jogado uma carreta contra os policias para forçar a passagem.A carta enviada a Jungmann é assinada pelo chefe do Gabinete Militar de Minas Gerais, o coronel PM Rúbio Paulino Coelho. No documento, o oficial informa a Jungmann que, logo que o serviço secreto da PM detectou o plano do MST para ocupar a fazenda Renascença, a corporação enviou uma tropa ao local.Coelho diz que, nas tentativas de negociação com os sem-terra, eles solicitaram a presença no local do presidente do Incra, Sebastião Azevedo, o que não teria sido atendido pelo órgão. Esta seria uma das medidas necessárias para pôr fim ao impasse criado na área. Desta forma, prossegue o coronel, o governo estadual "não hesitará em responsabilizar o governo federal pela ausência e incapacidade na negociação envolvendo o Incra e as lideranças do Movimento, o que certamente contribuirá para agravamento do fato, com conseqüências imprevisíveis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.