Itamar promete reagir à decisão da executiva do PMDB

O governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), prometeu reagir à decisão da Executiva Nacional do partido de reduzir para 3.870 o número de participantes nas prévias de janeiro, quando será escolhido o eventual candidato peemedebista à presidência da República. Itamar defende que as primárias reúnam pelo menos 100 mil inscritos na legenda, o que poderia lhe garantir vitória.Ao desembarcar no final da manhã em Belo Horizonte, vindo de Brasília, onde estava desde o início da semana tentando reverter a tendência de redução no número de votantes nas prévias, o governador fez a ameaça de revanche contra os governistas do PMDB, interessados em enfraquecer sua candidatura. "Eles moveram uma peça do xadrez. O próximo lance é meu", declarou o governador.À tarde, enquanto o governador preferiu o silêncio sobre qual seria sua estratégia, aliados mineiros anunciaram a realização de um abaixo-assinado entre delegados peemedebistas de todo o País para convocar uma convenção extraordinária do partido, antes das prévias. Segundo o vice-presidente estadual do PMDB, Aloísio Vasconcelos, com 300 assinaturas de integrantes de diretórios da legenda, devidamente protocoladas na sede da Executiva, em Brasília, seria possível forçar a cúpula a marcar a convenção, conforme o estatuto do partido.No encontro, as regras das prévias seriam rediscutidas e o número de votantes poderia ser ampliado novamente para até 150 mil - reunindo as bases municipais do PMDB, sobretudo os 11.373 vereadores, com os quais Itamar conta para ser indicado à disputa pelo Palácio do Planalto. "Somente em Minas, temos 71 assinaturas das 300 necessárias à convocação da convenção e, com o apoio de lideranças como o senador Maguito Vilela, de Goiás, Orestes Quércia, em São Paulo, e de outros companheiros, vamos conseguir tranqüilamente este número", afirmou Vasconcelos.Os chamados itamaristas voltaram a criticar a decisão da Executiva de reduzir o colégio eleitoral das prévias, tomada ontem na capital federal, por 11 votos a três. De acordo com Vasconcelos, a deliberação seria contrária a um compromisso firmado pelo próprio presidente nacional do PMDB, Michel Temer, após a convenção de setembro deste ano. Temer garantiu que as primárias teriam a participação de mais de 100 mil peemedebistas."A mudança foi um golpe dos governistas do partido contra Itamar", disse o vice-presidente. Com pouco menos de 4 mil participantes, explicou ele, as primárias seriam facilmente manipuladas e a estrutura do PMDB, praticamente "entregue de bandeja ao presidente Fernando Henrique Cardoso". Caso a convocação da convenção extraordinária fracasse, os itamaristas não descartam ir à Justiça, munidos de documentos com as definições do encontro de setembro, para tentar provar a suposta ilegalidade da redução do quorum das prévias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.