Itamar nega candidatura à presidência do PMDB

O governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), negou que pretenda lançar sua candidatura à presidência nacional do partido durante a convenção nacional, marcada para setembro. De acordo com aliados do governador mineiro, que divulgaram a informação, isso seria parte de uma estratégia mais ampla para forçar o PMDB nacional a deixar a base de sustentação do governo Fernando Henrique e ter candidatura própria na corrida ao Palácio do Planalto, que ficaria a cargo de Itamar. "Isso não procede", limitou-se a dizer o governador, no início da noite, por meio de sua assessoria. Itamar desembarcou em Belo Horizonte pela manhã, depois de passar sete dias viajando e, segundo assessores, permaneceu por todo o dia no Palácio das Mangabeiras, residência oficial do governador. Na terça-feira da semana passada, Itamar seguiu para o Paraná e, na fronteira do Brasil com o Paraguai, fez compras e comemorou seu aniversário, no dia 28.Depois disso, foi para o Rio de Janeiro, onde manteve encontros políticos. Justamente em uma dessas reuniões, com o líder pedetista Leonel Brizola, o governador teria decidido lançar-se candidato ao comando nacional do PMDB. O deputado federal Vivaldo Barbosa (PDT-RJ) foi um dos que anunciaram a suposta intenção de Itamar, segundo a rádio Itatiaia, de Belo Horizonte.De acordo com Barbosa, na presidência do PMDB o mineiro teria o controle dos rumos do partido e facilitaria a composição com outras legendas, entre elas seu PDT, que, assim como Itamar, "carrega a bandeira do nacionalismo". Também desta forma, Itamar evitaria a repetição do que ocorreu em maio de 1998, quando queria ser candidato à Presidência da República e viu seus planos frustrados na convenção nacional do PMDB. No evento, Itamar chegou a ser vaiado por integrantes da legenda que, por maioria, optaram por apoiar a reeleição do tucano Fernando Henrique Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.