Itamar mistura governo e PMDB. Tebet acha muito estranho

O ministro da Integração Nacional, Ramez Tebet, criticou hoje o governador de Minas Gerais, Itamar Franco, por se manifestar disposto a deixar o governo do Estado para ser presidente do PMDB. "Eu nunca vi um governador deixar um governo para ser presidente de um partido. Isto é um fato inédito", afirmou Tebet, que participou de almoço oferecido pelo governo brasileiro, no Palácio do Itamaraty, ao presidente da Eslováquia, Rudolf Schuster. Tebet, que integra a ala governista do PMDB, avalia que seria um casuísmo mudar o estatuto do partido para que o governador acumulasse o cargo com a presidência do PMDB. O ministro defende que o partido proceda de forma leal e ética no governo Fernando Henrique, apoiando o presidente e deixando claro a sua posição política em relação à sucessão de 2002. Embora defenda que o PMDB deva ter uma candidatura própria, Tebet acredita que o partido possa ficar na base governista, com cargos no governo, até a formalização da candidatura própria. "A hora que o PMDB formalizar uma candidatura, e o governo também, é claro que não haverá jeito de o partido continuar no governo", afirmou. Ao contrário de alguns integrantes do PMDB, como o presidente do partido, Maguito Vilela, Tebet é contra a proposta de rompimento com o governo federal. "Como serei a favor do rompimento se eu acabei de chegar no Ministério?", indagou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.