Itamar diz que PMDB deveria apoiar Lula

O governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), ironizou nesta terça-feira as declarações de membros da cúpula nacional do PMDB, que estariam alegando a ausência de um eventual candidato próprio com bons números nas pesquisas eleitorais para justificar uma possível aliança com o PSDB, na corrida presidencial.Itamar, que ainda sustenta sua disposição de disputar as prévias do PMDB, marcadas para março, nas quais o partido pode escolher um representante na eleição ao Palácio do Planalto, disse que, se pensassem realmente assim, os líderes nacionais da legenda deveriam optar pelo candidato da oposição melhor colocado nas últimas enquetes."Se o PMDB quer se balizar pelos números, ele deveria apoiar o candidato que está na frente, que é o Lula", afirmou o governador, que já deu sinais claros, em recente visita a São Paulo, de que, caso veja mesmo frustrado seu plano de concorrer à presidência, deverá fechar com o petista.Itamar também voltou a queixar-se do tratamento que lhe tem sido dispensado pelos comandantes nacionais do PMDB, aos quais acusa de, propositadamente, não terem estabelecido regras claras para as prévias. O objetivo teria sido minar a tese de candidatura própria do partido e, principalmente, retirar seu nome da disputa.Ao ser questionado se estava arrependido de ter reingressado no PMDB, partido pelo qual foi eleito, em 1998, e que deixou pouco depois de assumir o governo para reinscrever-se somente um ano depois, o governador disse que "de certa forma, sim". No segundo semestre de 2001, Itamar ameaçou deixar a legenda até poucos dias antes do prazo final de definições partidárias visando às eleições deste ano.Um de seus prováveis destinos seria o PDT, mas ele declinou convite do ex-governador Leonel Brizola. Itamar admitiu nesta terça que pode encontrar-se nesta quarta-feira com o ministro da Saúde e candidato do PSDB à Presidência, José Serra, que participa da formatura de agentes de enfermagem na capital mineira.Embora assessores tenham negado o agendamento de uma reunião com Serra - que, no discurso de lançamento da candidatura presidencial, elogiou o governador mineiro, irritando tucanos do Estado que o têm como principal inimigo -, Itamar disse que está aberto ao diálogo com o ministro, com o qual afirma manter boas relações."Desconheço qualquer convite", disse o governador, durante encontro de procuradores-gerais de Justiça de todo o País, em Belo Horizonte, no qual foram debatidas estratégias para combate à violência no Brasil. "Mas eu sou um homem educado, apesar de acharem que sou mal-educado, e converso com quem me procura", acrescentou.O secretário de Governo de Itamar, Henrique Hargreaves, confirmou, também nesta terça, que uma secretária de Serra entrou em contato com ele, solicitando o encontro. Garantiu, porém, que nada foi acertado.Enquanto José Serra estiver em Belo Horizonte nesta quarta-feira, outros dois presidenciáveis também têm compromissos na cidade. O governador do Rio e pré-candidato do PSB, Anthony Garotinho, e o ex-ministro Ciro Gomes (PPS) fazem palestra a parlamentares mineiros do movimento chamado "Frentão", na Assembléia Legislativa.O Frentão é a reunião de políticos do Estado, de oito partidos ainda colocados como periféricos nas eleições estaduais, que pretendem escolher um único candidato para apoiar na disputa pelo Palácio da Liberdade. Garotinho fala às 14h e Ciro, às 17h. A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), foi convidada, mas não estará presente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.