Itamar diz que governo não deveria receber O´Neill

O governador de Minas, Itamar Franco (sem partido), disse nesta terça-feira que o governo brasileiro deveria se recusar a receber o secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill. Ele condicionou a ajuda americana ao Brasil à adoção de "práticas políticas que assegurem que o dinheiro seja bem aproveitado, e não apenas saia do país direto para uma conta na Suíça". ?Ele (O´Neill) deveria não deveria vir à nossa terra", disse. Itamar visitou pela manhã o Mercado Central de Belo Horizonte. O ex-presidente defendeu uma reação "forte" do Ministério das Relações Exteriores. "Nós esperamos que a reação das autoridades brasileiras, especialmente as diplomáticas, seja forte, para mostrar que as palavras dele (O´Neill) são bastante ofensivas. Se fosse o contrário, por certo, os americanos teriam uma reação mais contundente". Ontem, após as declarações do secretário do tesouro americano, o presidente Fernando Henrique Cardoso convocou a embaixadora dos EUA no Brasil, Donna Hrinak, a dar explicações e afirmou que poderá se negar a receber o secretário no próximo dia 5, em sua visita ao País, caso não seja feito um pedido formal de desculpas. FMI Itamar ainda criticou os últimos acordos feitos entre o governo brasileiro e o Fundo Monetário Internacional (FMI). O governador salientou que eles foram desastrosos para o Brasil, não só nos seus aspectos econômicos. "São acordos que não correspondem aos anseios do povo brasileiro. O novo acordo precisa ser muito bem explicada, não aos presidenciáveis, mas ao povo em geral". O governador de Minas, mais uma vez, reiterou a necessidade da adoção de uma Assembléia Nacional Constituinte Exclusiva, "para que possa ordenar todo o seu aspecto econômico e social, que ficou totalmente desordenado após a Constituição de 1988".

Agencia Estado,

30 Julho 2002 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.