Itamar defende modelo que privilegie a produção

O governador de Minas Gerais, Itamar Franco, pré-candidato do PMDB à presidência, defendeu, nesta quarta-feira, durante palestra na Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) um modelo de desenvolvimento econômico que privilegie a produção e não a especulação.O governador mineiro destacou 12 itens que, segundo ele, são imprescindíveis para a retomada do crescimento do País.Entre os pontos defendidos pelo governador estão a ampliação do mercado consumidor, o restabelecimento da capacidade de investimento do setor público, a reativação da política industrial, o fortalecimento da capacidade competitiva nacional e o estímulo às exportações, entre outros aspectos.Durante pouco mais de uma hora em que falou a empresários paulistas, Itamar afirmou ainda que é contra a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "Eu sou contra. Não manteria", disse.O governador mineiro defendeu também a revisão no processo de privatização, apesar de admitir que "entregou" algumas empresas estatais. "Não nego ter privatizado empresas, mas há empresas que devem ser mantidas e controladas pelo Estado", afirmou. Durante sua gestão na presidência, a principal empresa privatizada foi a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional). "Na minha gestão, eu entendi que as empresas do setor siderúrgico e petroquímico não deveriam permanecer na mão do Estado e, por isso, eu as entreguei", disse.O governador mineiro, no entanto, criticou o processo de venda da Light. "A Light foi vendida a uma empresa estatal francesa e nós ficamos proibidos de comprá-la." O governador mineiro encerrou na noite desta quarta-feira uma série de atividades realizadas deste segunda-feira na capital paulista.No final da palestra aos empresários Itamar, resfriado, não falou aos jornalistas. O presidente da Fecomercio, Abram Szajman, disse que a entidade pretende trazer todos os presidenciáveis para que eles exponham seus projetos para o País. "A tese dele soou bem", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.