Itamar critica libertação de Jader; Geddel aplaude

Adversário político conhecido do ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), utilizou-se de uma expressão em latim _ "O tempora, o mores", para manifestar sua insatisfação com o desfecho do caso que resultou na libertação do ex-senador.A expressão que pode ser traduzida literalmente como "oh tempo, oh costumes", foi imortalizada, na Antigüidade, pelo orador romano Cícero, em um de seus discursos contra o senador corrupto Lúcio Catilina, e passou a ser usada para expressar lamento ou insatisfação nos momentos em que algo não estava correndo de acordo com a moralidade. As desavenças entre Itamar e Jader começaram em 1998, ano em que o governador mineiro, como ocorre atualmente, tentava ser o candidato do PMDB à Presidência. Jader liderou o grupo governista que bombardeou as intenções do mineiro e que acabou alinhando-se ao grupo que defendia à reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso.Mas houve os que defendessem Jader. O deputado federal Geddel Vieira Lima, líder do PMDB na Câmara Federal, saiu este domingo em defesa de Jader Barbalho, ao considerar "sensacionalismo barato" a prisão do ex-senador por agentes da Polícia Federal. "A rapidez com que saiu a decisão da Justiça indica a característica arbitrária da prisão", afirma. "Jader não foi ouvido nem chamado e botaram até algema nele numa operação chefiada por um delegado ligado a Romeu Tuma".Geddel disse que o modo como foi "construída a cena, com tanta pirotecnia" mostra claramente a "articulação política e mobilização dos veículos de comunicação, que anunciaram dias antes a possibilidade de ser expedida a ordem de prisão".O peemedebista voltou a se irritar com o ex-senador Antonio Carlos Magalhães, seu inimigo político número um, que mais uma vez incluiu "alguns baianos", sem citar nomes, entre os prováveis envolvidos com os escândalos atribuídos a Jader Barbalho e Eliseu Padilha. "Não tenho a menor dúvida, porque como eles trabalham, eles mostram logo os dentes, as garras, e mostram ao público o que estão fazendo com o erário", disse na tarde de sábado, o ex-senador mostrando os dentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.