Itamar ameaça combater candidato do PMDB

O governador de Minas Gerais Itamar Franco (PMDB) disse no início da tarde deste sábado que irá encabeçar uma frente nacional de combate ao candidato do PMDB para as eleições à Presidência da República, caso não venha a ser o escolhido do partido nas prévias que acontecem no dia 20 de janeiro. A vitória da ala governista na convenção nacional e a eleição do senador Ramez Tebet (PMDB-MS) para a presidência do Senado fortaleceram a impressão de que o partido sairá com um candidato contrário aos ideais do grupo itamarista. "Se o PMDB não escolher um candidato que esteja na linha de pensamento de Minas Gerais, nós então abriremos uma campanha nacional contra este candidato, que será iniciada logo após o resultado das prévias", disse. De acordo com o governador, o presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) está exercendo uma pressão dentro do PMDB sem precedentes na história do partido e do país. E isso certamente irá influenciar o andamento normal das prévias do partido, que correm o risco de até mesmo não acontecerem diante das intensas interferências do governo federal. "O governo Fernando Henrique conta com aliados fortes dentro e fora do país chegando à Minas. Porém, interferir no processo eleitoral de um partido organizado e com a representatividade do PMDB extrapola as funções de um presidente da República", afirmou. O governador não antecipou as prováveis alianças que seriam formadas para combater o candidato do PMDB ligado ao grupo governista. Mas alertou que os partidos que formam a esquerda brasileira estão se esquecendo que dificilmente não haverá segundo turno nas eleições presidenciais. "Nós tivemos divergências históricas, ideológicas e pessoais com alguns representantes de esquerda. Acho que muita gente de salto alto achando que já venceu as eleições. Mas para combater a continuidade desse governo, algumas posições precisam ser revistas, pois a disputa pela presidência não é fácil, digo isso pois já estive lá", comentou. Itamar Franco aproveitou a manhã de sábado para transmitir o cargo de governador ao vice-governador Newton Cardoso (PMDB) que assume o governo do Estado, nos oito dias de ausência do governador que embarca à noite para Turim, na região de Piemonte, na Itália, onde tem uma série de encontros com empresários locais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.