Itamar ainda quer ser candidato a Presidente

Apesar de ter sinalizado que estaria mais propenso a tentar a reeleição ao governo de Minas Gerais do que à presidência da República, o governador Itamar Franco (PMDB), no seu retorno a Belo Horizonte, na manhã deste sábado, fez questão de esclarecer qualquer tipo de mal entendido a respeito de suas declarações e de seu futuro político. "Continuo sendo candidato. O meu compromisso com o senador Pedro Simon (RS) é de ir até o fim com esse processo. Quero reafirmar que irei as prévias do PMDB no dia 17 de março para disputar a indicação do partido à presidência. Essa história de ficar repetindo a mesma coisa sempre está me colocando numa posição de realejo", disse.Os indícios de que o governador estaria mais propenso a aplicar o chamado "plano B" surgiram de suas próprias referências, feitas durante toda a última semana, em Juiz de Fora, onde passou o carnaval, ao senador José Alencar (MG) e à possível aliança nacional entre o partido do senador, o PL, e o PT de Luiz Inácio Lula da Silva. "Alencar é um homem de bem e se o Lula o escolher para vice, estará escolhendo um bom companheiro", explicou. Os principais oponentes de Itamar nas prévias do PMDB são o senador Pedro Simon e o ministro Raul Jungmann e, ao governo de Minas, figura como seu maior concorrente o próprio senador José Alencar. Caso Jáder Sobre a prisão do ex-senador Jader Barbalho (PMDB-PA), no final da manhã de hoje, em Belém, pela Polícia Federal, o governador não quis fazer maiores comentários, justificando que ainda não tinha tomado conhecimento sobre as razões que levaram à Justiça a pedir a prisão de Barbalho. "A Justiça deve ter lá suas razões para pedir a prisão do ex-senador. Pesam sobre ele várias acusações. Até o momento, desconheço quais delas justificaram essa decisão da Justiça", afirmou. A Justiça Federal de Tocantins expediu também um mandado de prisão provisória da consultora Maria Auxiliadora Barra Martins e do ex-superintendente da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), José Arthur Tourinho, envolvidos com o senador no escândalo provocado pela série de fraudes na autarquia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.