Itália nega que Berlusconi tenha cancelado visita ao Brasil

Fonte da diplomacia italiana disse que cancelamento se daria diante do desgaste pelo caso Battisti

da Redação

30 de janeiro de 2009 | 17h13

A Itália negou nesta sexta-feira, 30, que a viagem do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, ao Brasil tenha sido cancelada após a ´polêmica envolvendo o caso Cesare Battisti. Segundo a agência Ansa, porta-vozes do Executivo italiano classificaram como "sem fundamento" as informações divulgadas no Brasil e relembraram o comunicado oficial emitido hoje, no qual são reiteradas as "amigáveis e excelentes" relações entre os dois países e a "confiança" do governo italiano de que será alcançada uma resposta positiva ao pedido de extradição do ex-ativista.   O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, cancelou sua visita ao Brasil, prevista para o fim de fevereiro, diante do desgaste das relações bilaterais provocado pelo caso Cesare Battisti, conforme informou ao Estado uma fonte da diplomacia italiana. O gabinete de Berlusconi considerou impossível, neste momento, responder tão prontamente à visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Roma, em novembro passado, e dar um passo em favor do aprofundamento da parceria estratégica entre os dois países, como estava programado.   Veja também: Battisti diz que é inocente e denuncia 'democracia mafiosa' na Itália  TV Estadão: Ideologia não influenciou concessão de refúgio, diz Tarso  Especialista diz que decisão de Tarso foi 'política'  Documento: Processo do Ministério Público que defere extradição de Battisti     Abaixo-assinado a favor do refúgio a Battisti  Leia tudo o que já foi publicado sobre o caso e entenda o processo  Entenda a polêmica do caso Battisti     Ex-integrante de um grupo de extrema-esquerda, Battisti foi capturado no Rio de Janeiro em março de 2007, em uma operação que contou com a participação da Interpol e das polícias da Itália, do Brasil e da França.   Ele permanece detido em um presido em Brasília, enquanto aguarda a decisão do caso. Na terça-feira passada, a Itália convocou para consultas seu embaixador em Brasília, Michele Valensise, em protesto contra a decisão do governo brasileiro de conceder asilo político a Battisti.   Na segunda-feira, o Procurador-Geral da República, Antonio Fernando de Souza, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento do processo de extradição de Battisti, pedido pela Justiça italiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.