Itália espera confirmação da extradição de Battisti

O governo italiano está confiante que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai extraditar o ex-ativista Cesare Battisti. "Estou entendendo que o presidente da República haverá de cumprir o tratado (de extradição). Ele não tem razão para não cumprir o tratado. A Itália acredita que o presidente vá cumprir o tratado", afirmou o advogado Antonio Nabor Bulhões, que defende o governo italiano no processo de extradição de Battisti.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

16 de abril de 2010 | 19h04

Bulhões disse que vai examinar durante o final de semana a decisão do STF que autorizou a extradição de Battisti. A decisão foi publicada hoje no Diário da Justiça e as partes envolvidas no processo têm até o fim da próxima semana para protocolar eventuais recursos no Supremo.

Na opinião do advogado, a decisão, tal como foi publicada, obriga a extradição. Bulhões afirmou que ainda não decidiu se vai apresentar recurso. "A extradição há de ser executada nos termos do tratado", afirmou Bulhões.

Ele lembrou que o tribunal concluiu que o refúgio concedido no início de 2009 a Battisti não estava de acordo com a legislação. O advogado também ressaltou que o STF julgou procedente a extradição e concluiu que os crimes imputados a Battisti eram comuns, de especial gravidade.

Tudo o que sabemos sobre:
BattistiItáliaextradiçãoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.