Itália contesta pedido de libertação de Battisti

O governo italiano encaminhou ao ministro Cesar Peluso, do Supremo Tribunal Federal, contestação ao novo pedido de libertação do extremista italiano Cesare Battisti, apresentado pela defesa no dia 13. Na manifestação ao relator do processo de extradição no STF, enviada sexta-feira, a Itália alega que prescreveram os crimes de assassinato pelos quais Battisti foi condenado à pena de prisão perpétua em seu país. O documento ainda sugere que Peluso negue a revogação da prisão preventiva e também a proposta de conversão da prisão em pena domiciliar. A Itália alega que a defesa de Battisti usa "argumentação falsa" e age de maneira "absolutamente desleal e tumultuada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.