Itália acusa França de influência no caso Battisti

Um membro do governo italiano acusou o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e sua esposa, a franco-italiana Carla Bruni, de terem pressionado o Brasil a conceder o status de refugiado político ao ex-militante de extrema esquerda Cesare Battisti. Ontem mesmo, em entrevista à RAI, Carla Bruni chamou a acusação de ?calúnia? e negou qualquer tipo de envolvimento no caso e com Battisti, condenado a prisão perpétua na Itália.?Não tive nenhum papel, absolutamente não, e estou muito surpresa com o modo como este boato cresceu. Jamais defendi Battisti e estou contente de poder responder a esta pergunta e poder dizer isso também aos familiares das vítimas?, disse a primeira-dama francesa, em programa difundido ontem na emissora de TV italiana.No sábado, o subsecretário de Relações Exteriores da Itália, Alfredo Mantica, acusou o casal presidencial francês de estar envolvido no caso. ?Já está claro que as pressões sobre Lula no caso Battisti foram feitas por Sarkozy?, afirmou, citando ainda a suposta participação de Carla Bruni no episódio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.