IstoÉ traz matéria sobre terreno de Meirelles declarado por R$ 1

A edição da revista IstoÉ que está chegando às bancas e cujas reportagens estão disponíveis no site da publicação traz novas informações envolvendo o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Segundo a revista, Meirelles teria adquirido um terreno em Vassouras, no Rio, em 26 de fevereiro de 1998 - quando, segundo a IstoÉ, ele já morava nos Estados Unidos - e registrado pelo valor simbólico de R$ 0,01.A certidão do cartório do 3º Ofício de Vassouras, ainda segundo a revista, informaria que o pagamento da transação não teria sido recebido no ato do registro e sim liquidado em 22 de março de 1989 (o preço efetivamente pago não teria sido mencionado na certidão, conforme a revista).A IstoÉ diz também que Meirelles teria declarado ao Imposto de Renda em 2001 e 2002 que seu terreno, resultado de um desmembramento da Fazenda Sant´Anna, de 520 mil metros quadrados, valeria R$ 1,00. Segundo a revista, a parte deste terreno comprado em 89 por Meirelles (equivalente a 7% da área total) valeria cerca de R$ 14,2 mil (valor atualizado à moeda de hoje). Pelos preços de mercado, diz a revista, esse terreno valeria atualmente cerca de R$ 40 mil.Transação com doleirosO antigo proprietário do terreno, Geraldo Gonçalves de Sá, disse à revista não se lembrar do valor do negócio na época, mas afirmou que foi a preço de mercado. A revista traz ainda as mesmas denúncias já publicadas ontem pela Veja On-line sobre pagamentos feitos por Meirelles no valor de US$ 50 mil que apareceram na conta de supostos doleiros.ExplicaçõesHoje cedo, o presidente do BC, Henrique Meirelles, voltou a negar, em entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, qualquer relação com doleiros. Ele explicou que, nos EUA, quando se faz um pagamento, o recebedor desses recursos costuma indicar a conta na qual o dinheiro deve ser depositado e quem faz o depósito não pode saber antecipadamente se a conta pertence a alguém que paga seus impostos ou que tenha ligações com doleiros. Meirelles reiterou que os recursos foram ganhos honestamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.