Irritado com barulho, americano mata brasileira em festa

A brasileira Elisabel Ferreira foi assassinada na madrugada de domingo, junto com os argentinos Luis Ledesma e Patricio Ernesto Fondovila, pelo norte-americano Kevin Evers de 42 anos. Os três estavam comemorando o aniversário da mulher de Fondovila em um prédio na Rua 77, em Miami Beach. O criminoso feriu outras duas pessoas, que foram levadas ao Mount Sinai Medical Center. Elas não correm risco.Evers ficou irritado com o barulho da festa. Houve uma discussão entre ele e os convidados, que não concordaram em diminuir o som. Evers voltou a seu apartamento, pegou a pistola 9mm e disparou contra os convidados. Foram 13 tiros.O detetive Bobby Hernandez, da polícia de Miami Beach, estava inconformado. "Ele começou a disparar a esmo. Nem ligou para nós reclamando sobre o barulho." Hernandez disse ter encontrado várias cápsulas não deflagradas no apartamento de Evers. O policial informou que a mulher de Fondovila ficou tão chocada que começou a chutar a porta, machucando o pé.O criminoso foi capturado pela polícia no domingo, na casa de seus pais, em Sunrise Lakes, condado do Broward. Ele está detido e será levado a julgamento, podendo até mesmo pegar a pena de morte por ter matado três pessoas por motivo fútil. A Justiça negou hoje um pedido de liberdade mediante pagamento de fiança. Evers já esteve em liberdade condicional em 1982 por roubo e foi condenado por um seqüestro em Las Vegas.O Consulado Geral do Brasil em Miami está acompanhando as investigações. Segundo o conselheiro Francisco Fontenelle, o consulado ainda não pôde tomar providências porque não tem informações sobre Elisabel e não conseguiu contatos com a família no Brasil. Elisabel tem uma irmã morando nos EUA, que também estava na festa, mas ainda não foi localizada. Elisabel ganhava a vida limpando casas. A polícia obteve autorização para entrar em seu apartamento para obter mais informações e contatos. O pai de um dos argentinos mortos, Mario Fondovila, pediu a pena de morte para o assassino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.