Irmãos Dias já conversam com o PSB

Os senadores Álvaro e Osmar Dias (PSDB-PR), alvos de um pedido de expulsão do partido, foram pivôs de mais um confronto entre o comando da legenda e a bancada no Senado. Em mais um lance da briga interna no PSDB, o presidente nacional da sigla, deputado José Aníbal (SP), apresentou ao líder no Senado, Sérgio Machado (PSDB-CE), a decisão de desligamento temporário dos irmãos Dias da bancada, mas teve de recuar, diante das críticas de tucanos à proposta. Irritados, os irmãos Dias confirmaram que têm um encontro com o governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB), para discutir a possibilidade de filiação ao PSB.Álvaro Dias está disposto a brigar na Justiça contra qualquer tipo de punição interna, mas seu irmão já admite sair do PSDB e ingressar numa legenda de esquerda. A idéia de Aníbal era afastar os senadores da bancada até a discussão da polêmica sobre a expulsão dos parlamentares, em encontro da executiva nacional na próxima semana. A reunião prevista para ocorrer nesta tarde para discutir o assunto teve de ser adiada. Os tucanos iriam votar o desligamento definitivo dos irmãos Dias com base no desrespeito à determinação do partido para a retirada do apoio dos parlamentares à CPI da Corrupção no Senado. Aníbal encaminhou um ofício ao líder tucano no Senado propondo o desligamento temporário. Sérgio Machado, que teria de anunciar a determinação oficialmente, não encampou a decisão, devolvendo a polêmica à executiva nacional. "É a executiva quem tem de determinar e anunciar a punição, não é sou eu", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.