Irmão de Lula é barrado ao tentar visitá-lo no Guarujá-SP

No quinto dia de visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Forte dos Andradas, no Guarujá, Baixada Santista (SP), a ministra do Turismo, Marta Suplicy, também esteve na cidade, mas não deu sinais de que o visitaria. "Acabei de chegar de São Paulo", disse, durante a cerimônia da assinatura do repasse de verbas para a construção do Aeroporto Civil Metropolitano no município. Poucos têm sido recebidos por Lula. O mais novo dos irmãos dele por parte de pai, Germano Inácio da Silva, tentou, sem sucesso visitá-lo pela segunda vez nesse carnaval e, agora, fez críticas à carga tributária."Estou achando o governo dele bom, mas, como todo governo, tem seus prós e seus contras. Tiraram a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), mas aumentaram o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que é mais pesado. Não precisa ser político para entender", disse. O abuso no uso dos cartões corporativos do governo por ministros e outros funcionários públicos federais também não agradou a Germano Inácio da Silva. "Estou ouvindo as críticas, é errado. Mas isso é em qualquer governo, todo mundo sabe que não se pode fazer."O objetivo dele, no entanto, não era criticar a administração federal, mas sim tentar aproximar mais a família. "Vim cobrá-lo sobre a confraternização de família e agradecer algumas coisas, que ele sabe do que se trata." Além de Germano Inácio da Silva, de 42 anos, Lula tem outros nove irmãos. Até as 18 horas, o caçula e o filho dele Nathan Lyniker Rodrigues Inácio da Silva, de 12 anos, não haviam sido recebidos, e o motivo seria, outra vez, uma pescaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.