Irmão de Celso Daniel faz acordo com Dirceu e processo é encerrado

Os advogados do deputado cassado José Dirceu e o médico João Francisco Daniel firmaram nesta segunda-feira um acordo pondo fim a um processo por calúnia movido pelo ex-ministro chefe da Casa Civil contra o irmão do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em 2002. O processo se referia a declarações dadas por João Francisco, em que acusava Dirceu de receber propina da Prefeitura de Santo André em um esquema que estaria relacionado à morte de seu irmão.Em uma audiência realizada hoje no Fórum de Santo André, João Francisco afirmou que nunca teve a intenção de ofender Dirceu, o que satisfez a defesa do ex-ministro. "Eu nunca tive a intenção de ofendê-lo. Minha intenção sempre foi de fazer com que o assassinato de meu irmão seja esclarecido", afirmou João Francisco, logo após a audiência.No documento resultante da acordo, ficou acertado que as duas partes concordam em extinguir o processo, a partir do momento em que João Francisco admitiu que "não teve a intenção de ofender a honra ou impetrar crimes" a Dirceu.Apesar da decisão de hoje, João Francisco assegurou que ele e sua família prosseguirão com sua "luta" para que o crime que resultou na morte de Celso Daniel seja esclarecido. Dirceu não compareceu à audiência de hoje, e seus advogados, representados por Ricardo Tosto, optaram por não comentar o desfecho do processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.