Investimento em educação tornará País uma potência, diz Lula

Em seu programa de rádio, presidente disse que o Brasil precisa de 'uma cara nova' na área do ensino

estadao.com.br,

08 de fevereiro de 2010 | 09h57

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste segunda-feira, 8, durante seu programa de rádio "Café com o Presidente", que os investimentos do governo na área da educação transformarão o Brasil em uma potência econômica.

 

Lula disse no programa que o País precisa de "uma cara nova" na área do ensino, que seria alcançada através dos investimentos do governo federal na educação. Ao citar exemplos desses investimentos, o presidente lembrou o compromisso do governo de entregar novas 214 escolas técnicas, mas admitiu que mesmo se forem inauguradas todas as escolas prometidas, será "pouco diante das necessidades que o Brasil tem de investimento na educação".

 

"Nós pretendemos chegar ao final do ano com mais de 500 mil jovens participando nas escolas técnicas brasileiras, e eu penso que isso vai permitir que o Brasil possa, daqui para a frente, investir ainda mais na educação para que a gente possa se transformar numa potência econômica", disse.

 

Inovação tecnológica

 

Ainda em seu programa de rádio, o presidente afirmou que a inauguração da primeira fábrica brasileira de chips em Porto Alegre (RS) na semana passada "marca um divisor na história de investimentos em inovação no Brasil".

 

O Centro Nacional em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec), único fabricante de chips da América Latina, recebeu um investimento de R$ 400 milhões do Ministério de Ciência e Tecnologia. No momento, produz somente chips para o rastreamento de rebanhos bovinos.

 

"A coisa mais extraordinária é que, em 60 dias, nós conseguimos trazer de volta para o Brasil praticamente 100 engenheiros para trabalhar nessa fábrica - pessoas que são altamente qualificadas e que estavam, por falta de oportunidades, trabalhando no exterior", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.